Quando o Assunto é a Balança


Recebo dezenas de mensagens de mulheres que me acompanham pelas redes sociais todas as vezes que o assunto abordado é peso. É impressionante enxergar a sede que tantas pessoas tem – e que, na minha opinião, vai além de uma simples curiosidade – em tentar entender como alguém consegue perder peso.

Eu mesma acompanho algumas mulheres que falam especificamente disso na internet, mas nenhuma delas é considerada como um modelo a se seguir da vida fitness. Por quê? Porque são pessoas de verdade, contando as reais histórias dos seus corpos e da sua relação com a comida.

Por algum tempo, evitei falar a respeito da minha própria reeducação alimentar. Minha própria melhor amiga demonstrou uma preocupação profunda com o fato de que me expondo tanto quanto eu fazia, poderia mais me prejudicar do que me ajudar. Ela tem razão.

Não é fácil colocar a cara a tapa quando se trata do nosso próprio corpo. Não é fácil lidar com críticas, principalmente quando os ‘juízes’ decidem apitar seu jogo sem nem ao menos compreender todas as regras que o cercam. A dificuldade de escrever, gravar, fotografar e postar sobre emagrecimento é tão grande quanto o próprio processo de emagrecer. Uma caminhada cheia de obstáculos.

Porém, uma coisa que tento levar comigo para tudo na vida é que ser transparente é sempre a melhor opção. Eu não sei viver pela metade, não sei fazer nada pela metade. Se entro, entro de cabeça. E graças ao post de ontem, percebi que posso ajudar tantas pessoas através da minha própria experiência, tantas, que decidi correr este risco!

Então, vamos deixar algumas coisas bem claras. Primeiro, e mais importante de tudo: eu vou falhar. Vou comer doce, vou comer massas, vou em restaurantes, vou agir como uma pessoa absolutamente normal. Não vou perder peso toda semana, não é esse o meu objetivo, pois conheço meu corpo e entendo minhas limitações. Não vou me comprometer a abrir o quanto peso, mas vou contar o quanto perdi, quando decidir que é hora de contar. 

O que me comprometo a fazer é, sempre que falar sobre emagrecimento, ser absolutamente honesta. Não quero aumentar nem diminuir minhas conquistas e meus fracassos. O meu objetivo é aumentar minha qualidade de vida – uma constante, e não um número na balança – uma variável. 

Gostaria de dividir esta experiência com vocês, e sei que posso contar com o apoio de muitos, e por isso sou infinitamente grata. Aos curiosos (um ou outro, sempre tem) boa sorte em suas vidas, não esqueçam que jogar tetris no seu tempo livre irá agregar muito mais à sua vida do que vir aqui bisbilhotar – dizem que jogar tetris uma vez por dia por uns 30 minutos pode prevenir o Alzheimer. Aproveite melhor o seu tempo!

É isso. Sobre todo o amor de ontem, minha mais sincera gratidão.

Até breve.

7 Dicas de Beleza e Bem-Estar Infalíveis

Sei que o foco do meu blog e do meu canal não é mais falar sobre beleza, mas acho que já deu para perceber que continuo fazendo questão de falar sobre saúde e sobre bem-estar, porque a beleza em sí não é de muita valia se não vem de dentro – e a beleza interior não depende apenas da nossa saúde mental mas, igualmente importante, da saúde de todo o nosso organismo.

Eu fiz aqui uma pequena lista com sete coisas que considero muito importantes para conservar nossa pele. Esta lista mescla coisas internas e externas, e tem um único objetivo: o equilíbrio. Acredito que buscar o equilíbrio de todas as coisas é fundamental independente da idade, mas muitas delas creio que sejam indispensáveis depois dos 30. Se você é mais nova ou mais velha do que isto, tente mesmo assim, pois com toda a certeza valerá a pena.

1. Menos maquiagem e mais demaquilante.

Será que alguém reparou que eu ando me maquiando bem menos do que há poucos meses? Pois é, não é impressão não. Por alguns motivos simples, decidi diminuir a intensidade dos meus looks de maquiagem. Primeiro, porque toma muito do meu tempo – eu deixo para elaborar mais nos looks em ocasiões especiais, e não todos os dias. Segundo, porque me faz parecer mais nova – apenas realçando o que gosto e escondendo o que não gosto tanto assim. Terceiro, porque quero me sentir bem independente da quantidade de maquiagem que tenho em meu rosto, o que é algo muito necessário. Dormir de maquiagem jamais! Comprei demaquilante, água miscelar, tônico, óleo de coco, enfim, tenho tudo, menos uma desculpa para dormir de maquiagem. Faço isso há muito tempo e tenho certeza de que minha pele é boa por sempre estar limpa durante o sono.

2. Menos sol e mais filtro solar.

Esta combinação é o anti-rugas mais imbatível que existe no mundo. Eu não tomo sol há anos, mas é claro que não o evito 100% para não causar uma falta de vitamina D no meu corpo, pois ela é muito importante. Porém, não fico no sol com o intuito de me bronzear. Não tenho marca de biquini no meu corpo há mais de cinco anos e adoro essa sensação. Uso filtro solar todos os dias no rosto, e no corpo uso quando sei que ficarei exposta por muito tempo ao sol. Também acredito que exista uma ditadura do corpo cruel quando se trata de cor – não é bonito ser negra, também não é bonito ser branca. Bonito é ter o corpo bronzeado. “Pernas de palmito” é o comentário mais leve que eu já ouvi. Honestamente? Não me incomodo com os comentários maldosos. Me incomoda ser obrigada a ficar no sol, algo que eu detesto fazer, para agradar os olhos dos outros. No, thanks.

3. Menos álcool e mais água.


Eu não bebo quase nada, mas se tem algo que não bebo é cerveja. Isso eu vejo como uma vantagem, porque a cerveja incha muito e engorda muito. Mas o álcool, no geral, tem muito açúcar e destrói a pele. Durante todo o meu desafio #AgostoSemAçúcar eu não ingeri uma única gota de álcool, e achei isso ótimo. Há alguns anos passei a consumir vinhos, poucas vezes no mês, com alguma refeição e junto dos amigos, como aprendi com meus pais. Não exagero nunca na quantidade, mas depois que comecei o Vigilantes do Peso diminui muito a frequência do meu consumo de vinho, que tem uma pontuação alta por conta do açúcar. Bem, eu diminuí o vinho, mas fiz algo muito mais importante do que isso – passei a beber água! E isso é algo bem recente. Eu quero tentar beber pelo menos três litros d’água por dia. A água elimina o sódio do corpo, regenera as células e oxigena o cérebro. São inúmeros os benefícios, e é algo tão simples que não há desculpas para não conseguir fazer.

4. Menos televisão e mais exercício.

Não preciso nem explicar muito esse tópico, não é? Tudo bem, se quiser ver televisão enquanto anda na esteira está ótimo, o importante é deixar o sedentarismo de lado, se movimentar, aproveitar a juventude além da novela…

5. Menos balança e mais fita métrica.

Muitas vezes a gente só leva em conta os números que a balança indica, e graças a isso nos sentimos muitas vezes desencorajados a continuar nos alimentando e exercitando da maneira correta. Mas acontece que nosso corpo não é uma máquina. Não dá para perder peso quando a gente quer – seria muito bom, mas impossível. Nosso corpo trabalha de maneiras diferentes, e mesmo quando a balança não mostra um número muito, digamos, simpático, existem outras maneiras de se manter firme do lado saudável da vida. A fita métrica é uma delas. Nestes meses de Vigilantes do peso nem todas as semanas os números da balança diminuíram, mas todos os meses eu tirei minhas medidas, e em todos eles os números diminuíram. Ou seja, a conclusão aqui é: não deixe que a balança escravize sua vida. Entenda o seu corpo, e dê uma chance para que ele mostre a diferença no seu esforço no tempo dele.

6. Menos adoçante e mais vitaminas.

Estou tentando eliminar o adoçante artificial da minha vida. Isso é realmente algo importante, e eu vou continuar tentando. Contei no meu último video de update do #AgostoSemAçúcar que comecei a usar o Stevia (estevia) no lugar dos adoçantes artificiais. Mas quando se trata de opções “engarrafadas” que podem beneficiar nosso corpo estão as vitaminas. Eu venho usando apenas uma, que é a Biotina, que ajuda na saúde da pele, das unhas e dos cabelos. 

7. Menos café e mais clorofila.


Eu sei que é difícil não beber café – e não acho que devemos abolir nada do que gostamos de comer ou beber da nossa vida (a não ser por recomendações médicas), mas diminuir o volume do café que ingerimos diariamente é algo muito benéfico para a saúde. “Mas como vou conseguir ficar acordado sem meu café?”, bom, a resposta é simples: durma melhor (e aqui ainda cabe mais um tópico da lista – “Menos internet e mais noites de sono”). Sei que graças à rotina muitas vezes é difícil manter a regra das oito horas de sono por noite muito válida. Mas tente. Tente reajustar as coisas, tente colocar limites na rotina, nos compromissos. O descanso é fundamental para que nosso corpo se reajuste, para o equilíbrio dos hormônios e como terapia para a mente. Em contra-partida, descobri a clorofila, que é fonte natural e sem contra indicações de energia. Ela substitui bem o café (ao menos comigo), além de ter inúmeros benefícios à saúde, como a desintoxicação do intestino, enfraquecimento dos odores do corpo, aceleração do metabolismo, entre outras coisas. Eu bebo clorofila todos os dias, e tenho certeza que continuarei vendo seus benefícios a médio e longo prazo. Acredita-se que o consumo da clorofila desacelera o envelhecimento, melhora a circulação sanguínea, ajuda no controle da diabetes e é rica em antioxidantes.

Menos é mais. Mais é menos. Depende da sua escolha, do que você acredita que seja melhor para você. Mas vale a pena considerar todas estas dicas e aumentar o seu bem estar, focando sempre na sua saúde.