Disneylândia – A Mágica Continua 

Quando o Josh e eu decidimos vir até a Califórnia, eu disse a ele que não poderíamos perder a oportunidade de conhecer a Disneylândia, o parque original de Walt Disney. Eu sou disneymaníaca e se pudesse visitaria um dos parques espalhados pelo mundo pelo menos uma vez ao ano. Na verdade, esse é um dos meus objetivos, visitar a Disney em todos os países onde há um parque (quem sabe a França não é o próximo!).

Ir à qualquer um dos parques da Disney por si só já é uma experiência inesquecível. Eu me sinto privilegiada por estar tendo a chance de conhecer ambos dentro dos EUA, a Disney World em Orlando, FL, onde estive duas vezes, e agora a Disneylândia em Anaheim, CA,

Gostaria de fazer algumas comparações entre ambas as localidades, mas acho injusto comparar Disneylândia com Disney World porque Orlando abriga quatro parques separados (Magic Kingdom, Hollywood Studios, Animal Kingdom e Epicot Center) – sem contar os parques menores, como os parques Aquáticos  (Typhoon Lagoon e Blizzard Beach). 

Explico isso 1) porque esse tipo de esclarecimento nunca é demais (muita gente acha que os parques da Universal são Disney, mas não são), e 2) porque se formos levar em consideração a experiência como um todo, não fica justo, afinal conhecer quatro parques é muito mais  legal do que conhecer um parque só (Também existe o Disney California Adventure em Anaheim mas nós não fomos até lá).

Castelo da Bela Adormecida


Então para ser justa, vou comparar a Disneylândia com o Magic Kingdom, pois realmente são os dois parques mais parecidos. 

Na minha opinião e pelo que eu me lembro, ambos são bem similares em tamanho e número de atrações. Ambos são conectados aos resorts Disney pelo monorail, e ambos são os que mais tem atrações para crianças pequenas. 

Eu tive a sensação de que a Disneylândia tem um foco maior nos clássicos de suas produções, achei que muito do parque preserva partes de décadas atrás, o que eu achei fantástico. A arte da Alice no País das Maravilhas é bem grande (eu fui à loucura haha!).

Muitas atrações são repetidas em ambos os parques, como por exemplo Piratas do Caribe, Voando com Peter Pan, A Mansão Mal Assombrada, etc. 

Uma das coisas que diferem os parques são as atrações musicais e teatrais. Na Disneylândia nós assistimos a uma peça com o Mickey e várias princesas que não havia visto em nenhum dos parques de Orlando.

Um ponto contra é que o Meet and Greet tem bem menos personagens. Nós só conseguimos ver a Minnie e algumas princesas. 

Agora, existem alguns pontos bem a favor da Disneylândia – alguns, já aviso, serão um pouco polêmicos…

– Faz calor na Califórnia? Faz. Mas é um calor de pessoas normais, não a sauna infernal e úmida que é Orlando.

– Me pareceu um parque menos popular, ou seja, apesar de ser bem cheio nós não pegamos nenhuma fila maior do que 45 minutos. Tudo bem, tudo bem, hoje é segunda-feira, mas eu fui durante a semana nos parques de Orlando e achei à espera um pouco maior. 

– As pessoas são mais educadas! Lá vem bomba…. Quase não se vê brasileiros! Gente, não é tentando ser esnobe ou melhor do que ninguém não. Eu sou brasileira com muito orgulho e quem me acompanha aqui sabe disso. Mas todas as vezes que estive em Orlando passei nervoso por causa dos meus queridos e folgados conterrâneos! Quem já foi sabe que não estou mentindo. Aqui na Califórnia a população brasileira é infinitamente menor do que na costa leste, Florida então nem se fala. Aqui tem muito, mas MUITO asiático, então acho que deve ser por isso que senti essa diferença nas pessoas. Again, não quero ofender ninguém tá? Estou falando das minhas próprias experiências.

– Para crianças pequenas ou para pessoas mais velhas a Disneylândia é menos cansativa que a Disney World. Acho que porque você consegue viver o sonho de criança de uma tacada só, em um dia, então pode programar uma viagem mais diversificada que não gire única e exclusivamente em torno da Disney.

– De todas as atrações que fomos tem uma que eu nunca vi em Orlando (lembrando que a última vez que estive lá foi em 2012 e eu acho que não tinha lá) foi a do submarino de Procurando Nemo, que realmente fica submerso na água e passa pela história toda do filme. Achei que vale muito a pena!


 
Ambos os parques tem os desfiles tanto de dia quanto o desfile de luzes a noite, porém o desfile do dia não acontece diariamente na Disneylândia, apenas aos finais de semana, por isso hoje não pudemos vê-lo.

A queima de fogos de hoje foi emocionante. Falou muito sobre o Walt Disney e sobre a comemoração de 60 anos da Disneylândia, então foi fantastico. A ênfase foi mesmo dos filmes clássicos mas é claro que a Elsa também marcou presença. Bom, a queima de fogos de qualquer um dos parques é sensacional e imperdível, não tem como não chorar! 

Eu voltaria para a Disneylândia com certeza, na verdade espero que não demore para isso acontecer! Quanto ao meu parque favorito? É impossível escolher um só! Todos são únicos e encantadores. 

Amanhã tem mais!

Gi 

 

L.A. e Seus Encantos (Turísticos!)

O dia hoje foi produtivo demais! Fomos turistar nível 1000% e nos divertimos muito! 

Explorar Los Angeles não é uma coisa difícil. O trânsito é mais tranquilo do que a gente esperava e honestamente o miolo onde tudo acontece (turisticamente falando) também é menor do que eu esperava. Isso é bom porque a gente acaba conseguindo conhecer mais coisas em menos tempo. 

A famosa…

Dirigimos até o observatório Griffith para então vermos a famosa placa de Hollywood. O lugar é maravilhoso e dá para fazer hiking pela montanha se quiser (óbvio que não era o nosso caso, mesmo porque a subida toda leva um dia e precisa estar equipado e preparado fisicamente para isso!). A ida até o observatório é gratuita, inclusive o estacionamento.

(Saindo da placa fomos direto até a DASH – boutique das Kardashians – mas estava fechada por causa do vandalismo ocorrido na semana passada… Fiquei triste!)

Então fomos para o centro turístico de Los Angeles. Lá você vê todos os tipos de gente, é uma coisa meio louca, mas bem legal.

A Walk of Fame é bem legal, mas bem diferente do que eu imaginava para ser bem sincera. Ela é rodeada de lojas, shoppings, lanchonetes, museus, teatros, cinemas e tal. Bem bacana!

Então fomos ao museu de cera Madame Tussauds que realmente é imperdível! O preço é em torno de $30 por pessoa, mas nós conseguimos um desconto de 50% porque compramos o passe para o tour pela cidade (já conto mais). 

É impressionante a semelhança com a realidade que estas esculturas tem! Elas são todas feitas em tamanho real da celebridade, olha o Josh do tamanho do Kobe! Demais! 

Sobre o tour…

Na rua você encontra todos os tipos de serviços turísticos que você pode imaginar. Os mais comuns são os passeios de ônibus com o guia que te leva nos principais pontos de L.A. Custou $30 por pessoa e o passeio foi de duas horas no total. 

O guia nos levou novamente até a placa de Hollywood (fazia parte do tour, mas não nos importamos pois pudemos ver a placa de outro ângulo), pelas mandões de Beverly Hills dos famosos, por West Hollywood, Rodeo Drive… 

Anthony, nosso guia doidão!

Supostamente a mansão de Donatella Versace

Supostamente a mansão de Khloe Kardashian

Supostamente a mansão de Ellen Degeneres

Então fomos visitar o lindo Píer de Santa Monica. 

O Píer de Santa Monica é muito famos por ser o ponto final da conhecida Rota 66 que começa em Chicago

Para comemorar o Dia dos Namorados fomos jantar no restaurante Del Frisco’s Grille, em frente ao Píer. 

O restaurante é sensacional, ambiente, serviço e comida nota dez. O local é bem espaçoso, o que ajuda muito a diminuir o tempo de espera (que é sempre enorme nos restaurantes ao redor). 

Foi um dia lindo!

Amanhã tem mais… Aguardem rs!

Gi

Meus Primeiros Momentos de 30 – A Viagem 

Oi pessoal! Não tenho como deixar de começar este post agradecendo cada um de vocês que dedicou uma parte do seu tempo de alguma forma, seja por mensagem ou telefonema, para me parabenizar no meu aniversário! Muito obrigada a todos por tanto carinho! 

Bom, quem não me acompanha pelo Insta ou pelo Snap (@giyupi) provavelmente não sabe que Josh e eu estamos viajando. Eu estou escrevendo este post do carro enquanto voltamos para o nosso hotel. 

Neste momento estamos perto de Los Angeles, aqui na Califórnia. Vamos ficar por aqui uns dias e então voltamos para Las Vegas para passar alguns dias por lá também. 


Comemorando a chegada dos 30 à meia-noite em um dos restaurantes do MGM Grand


Hoje cedo pegamos a estrada e viemos de Vegas para a Califórnia. 


O caminho é mega tranquilo, praticamente uma linha reta entre Nevada e Califórnia de quatro horas. Como Iowa é um estado muito plano (mas muito plano MESMO), nós ficamos encantados em poder ver as montanhas em todo o percurso. 

Na metade do caminho paramos – por indicação da minha querida amiga Pat – em Calico, a cidade fantasma.


Calico era um local de exploração mineral, mais especificamente de exploração de prata. Em meados de 1880 a cidadezinha cresceu e chegou a 1200 habitantes. Porém com a desvalorização da prata os mineiros foram indo embora, um a um, deixando a cidadezinha com apenas 8 moradores. Todas as minas da área foram desativadas e o terreno comprado por uma pessoa que transformou o local em uma atração para turistas de todas as partes do mundo.


Seguimos viagem com parada obrigatória para quem vem do Midwest – In-N-Out:

Chegamos em Orange County e encontramos minha prima com seu esposo e seu bebê. Fomos passear em Laguna Beach, um charme de lugar:


Fomos jantar em um restaurante lindo ali, o Nick’s, mas a conversa estava tão boa que eu não forografei! 

Agora vou descansar porque amanhã tem mais!

Gi