Maquiagem Para a Foto da Empresa + Look de Trabalho

Bom dia! 
Hoje é dia de video, mas ultimamente todos os posts por aqui tem sido basicamente para compartilhar os videos do YouTube, né? Tudo bem, tudo bem. Logo logo os textões voltam a aparecer por aqui normalmente. 

Sexta-feira passada eu tirei uma daquelas fotos pro catálogo da empresa – dessas que geralmente deixam a gente bem horrorosa, sabe? Então… Aí, como não é a primeira vez que tenho que tirar este tipo de fotografia, já fui esperta e fiz uma maquiagem que desse uma ajudada no resultado final – ou seja, já que nosso forte lá no trabalho não é o Photoshop, o jeito é apelar para a maquiagem!

A preparação da pele, contorno e iluminador são as coisas mais importantes. 

Os produtos que eu usei no video:

• Hidratante facial Dead Sea Minerals

• Protetor solar facial da Neutrogena – Age Schield Face fator 110

• Base da Maybelline Dream Velvet Soft- Matte na cor 15

• Corretivo da Maybelline Age Rewind na cor Fair

• Pó HD Finishing Powder da NYX na cor Banana

• Blush da Milani na cor Romantic Rose

• Bronzer da Paleta da Urban Decay – Naked On The Run

• Gel de sobrancelha da Milani – Stay Put Brow Color na cor Medium Brown

• Primer de sombras da Urban Decay – Primer Potion

• Paleta de sombras da Milani na cor Bare Necessities

• Delineador da Stila na cor Black

• Máscara de cílios da Maybelline – Lash Sensational Luscious na cor Black

• Batom líquido da NYX – Liquid Suede Cream Lipstick na cor Sandstorm

Espero que gostem do video!

Beijos,

Gi

Q&A Instagram – Violência Doméstica, Casar com Gringo e Mais

Hello! Hoje é dia de video novo! Não, não temos um calendário de videos, mas acho que desde o primeiro video postado no começo do ano tenho colocado um video novo dia sim, dia não no canal, e isso é muito bom, assim podemos variar os assuntos do Blog sempre.

Há alguns dias eu deixei uma foto no meu Instagram para que a galera deixasse perguntas com temas aleatórios, e respondi tudo em video:

Espero que vocês gostem do bate-papo!

Gi

Coisas Que Não Fazem o Menor Sentido, Mas Fazem

Tem certas coisas da minha vida que simplesmente não fazem sentido nenhum pra mais ninguém além de mim. Isso acontece com você, também? São situações que se eu mesma ouvisse outra pessoa narrar, pensaria: “isso é um absurdo, isso não existe”. Coisas da minha cabeça que, de vez em quando, parece mais uma mistura de antiquário em dia de liquidação com disneylândia em véspera de natal. Uma loucura absurda, descontrolada. Eu me perco, perco o ar, canso da minha própria cabeça.

Então, me deparo com uma bifurcação bizarra, tão sutil que chega a ser maquiavélica: de um lado, o caminho mais gasto, que costumo chamar de “meu antigo eu” – um estreito labirinto cheio de buracos, paralelepípedos desencaixados, nublado, com raios esporádicos e uma incômoda ventania de contra-mão, chuvoso, longo, cansativo e praticamente sem volta. Do outro lado, o caminho totalmente oposto, mais novo, e ainda em construção parcial, apelidado carinhosamente de “atalho do contentamento”. Lá nem se quer tem asfalto – um atalho curto, direto, propositalmente largo (grandes culpas passam por ele com pouco esforço) e feito só de grama, caso queira dispensar os sapatos. Lá não chove, não faz frio nem calor, é iluminado o tempo todo, com nuvens brancas que evitam a cegueira ocasional do sol. Andar por este atalho é fácil, é só querer.

A maldita bifurcação acontece todas as vezes que eu me deparo com questões impossíveis de explicar (por pouco, impossíveis também de entender). A primeira vez que me deparei com ela, foi quando soube que mudaria do Brasil. A diferença é que só os outros eram capazes de enxergar o atalho do contentamento. Eu só conseguia enxergar o meu antigo eu. Impossível de explicar o porquê, só vivendo pra entender. Qualquer um que ouvisse minha história de fora, pensaria: “isso é absurdo, isso não existe”. Tudo bem.

Depois de muitas situações que me levaram à tal bifurcação, eu finalmente aprendi que sempre dá pra escolher o atalho do contentamento. Ele sempre estará lá, não importa o que aconteça. Contenrar-se não significa não ter coragem. Nem sempre. Coragem para enfrentar o meu antigo eu sei que sempre terei. Mas há questões tão infinitamente maiores (ou menores) do que isso, que a coragem em sí de nada vale. Em outras palavras, muitas vezes, o atalho do contentamento é a única maneira de seguir em frente e chegar do outro lado mais rápido, quando a questão, em suma, não pode ser alterada.

Este é o texto mais absurdo de todos os tempos (estou ciente), mas em resumo é assim: de vez em quando não vale a pena passar pelo sofrimento se, no final, o sofrimento não fará diferença alguma. “Pegue o atalho, contente-se, e simplesmente siga em frente”. Demorou, mas eu aprendi.

Como Eu Corto Minha Franja

Foi em 2000, o nome dele era Sérgio, um gato que eu conheci em Guarulhos, mais velho que eu – e foi ele, decididamente, quem mudou a minha vida para todo o sempre. O Sérgio foi o responsável pela maior aventura que eu já vivi: foi o cabeleireiro que me ensinou a cortar minha própria franja!
Anos e anos e anos e anos e anos mais tarde, continuo usando as mesmas técnicas que ele me ensinou – em outro video mostro a técnica original, torcendo o cabelo e cortando em ângulo para fazer uma franja com mais camadas, e nesse video mostro a minha técnica para aparar a franja quando já está maior mas definitivamente impossível de torcer por estar bem curta.

O Sérgio era sócio de um salão no meu bairro, em Guarulhos, perto da Acqua Sport. Ele foi o cara que me ensinou a arrumar meu cabelo, ele foi o primeiro cabeleireiro que acertou o melhor corte pro meu rosto, ele foi o primeiro profissional a me deixar parcialmente ruiva (fiz muitas mechas ruivas, eu tinha 15 anos, meu primeiro namoradinho tinha me dado um pé na bunda, e eu resolvi que PRECISAVA mudar, no dia seguinte minha mãe me levou no salão dele e disse que eu podia fazer o que eu quisesse!) e foi ele que, tempos depois, fez ressurgir minha franja ao estilo Mara Maravilha quando eu estava com 17 anos, semanas antes de entrar na faculdade.

Sérgio, acho que nunca tive a chance de te agradecer por tudo o que você fez por mim, nem de te dizer o quanto você me ajudou a encontrar uma Gisele que nem eu sabia que existia, também acho que você nunca vai ler essa mensagem aqui, mas de todas as maneiras: OBRIGADA!

Depois que eu aprendi a cortar a minha própria franja, passei a cortar as franjas de várias das minhas amigas, então com todos estes anos de experiência – teórica e prática – acho que posso me considerar uma diplomada em corte de franjas caseiros hahaha!

Bom, tá aí o video. Espero que vocês gostem!

Gi

Por Que Não Quero Filhos?

Tem sido uma experiência muito boa juntar os videos de beleza com os nossos bate-papos sobre diversos assuntos. Também estou conseguindo, desta maneira, interagir mais com todos vocês e abordar temas que foram sugeridos por quem sempre me acompanha por aqui e pelas redes sociais.

Ultimamente, esse tema “maternidade” tem me rondado bastante, e isso é natural, afinal, uma mulher de 30 anos, casada há quase 4, saudável e capaz, é quase inaceitável ainda não ser mãe, no geral, não é? Mas é claro que não é só por causa da pressão que o tema anda muito presente. Minhas primas e amigas quase todas já são, estão prestes a ser ou até a repetir a dose de ser mãe. É engraçado porque as conversas sempre começam do mesmo jeito “E aí, Gi? Você tem que ser a próxima, hein! Por órdem de tempo de casamento!” (é que eu sempre empurro a questão pra minha irmã, que casou não faz nem um ano haha!).

Bom, expliquei todo o meu ponto de vista no video, e estou muito contente com o retorno que estou recebendo por conta de tudo o que eu falei.

Esta ainda não é uma decisão – não ter um filho X ter um filho. Mas há razões para dúvidas, tanto para um lado quanto para outro. 

De todas as maneiras, fico feliz com a compreensão de tantas de vocês, e espero que possa ajudar alguém, de alguma forma, mesmo que com o sentimento de que vocês que passam pela mesma guerra interna não estão sozinhas. 

Abraços,

Gi

Aproveitando as Promoções 

Entrou na chuva? É pra se molhar!Surra de videos bloguete-style pra nós, galera! Hoje, mais um daqueles que vocês sempre dizem amar muito: shoppiiiiiing! Haul, comprinhas, o que tem de novidades, enfim, o título você escolhe.

No domingo fui ao shopping com uma amiga e nós conseguimos aproveitar as promoções de troca de estação. Uma das coisas mais legais que eu vejo aqui é que em determinadas épocas do ano as lojas tiram do estoque as roupas das estações passadas e jogam na pista a preços de banana. Ou seja, conseguimos comprar roupas para o verão com preço de liquidação de inverno, entende?

Como eu sempre digo, este é o momento para 1) repormos peças clássicas que usamos muito e 2) aproveitarmos para testar estilos novos, pois em caso de arrependimento o prejuízo é menor – sem exagerar no senso de aventura pra não ficar com o guarda-roupa cheio de elefantes brancos (roupas fora de moda ou que simplesmente não combinam com a gente).

Então aqui estão as peças adquiridas no fim de semana, e honestamente não vejo a hora de usá-las! 

Espero que gostem do video,

Gi