7 Dicas de Beleza e Bem-Estar Infalíveis

Sei que o foco do meu blog e do meu canal não é mais falar sobre beleza, mas acho que já deu para perceber que continuo fazendo questão de falar sobre saúde e sobre bem-estar, porque a beleza em sí não é de muita valia se não vem de dentro – e a beleza interior não depende apenas da nossa saúde mental mas, igualmente importante, da saúde de todo o nosso organismo.

Eu fiz aqui uma pequena lista com sete coisas que considero muito importantes para conservar nossa pele. Esta lista mescla coisas internas e externas, e tem um único objetivo: o equilíbrio. Acredito que buscar o equilíbrio de todas as coisas é fundamental independente da idade, mas muitas delas creio que sejam indispensáveis depois dos 30. Se você é mais nova ou mais velha do que isto, tente mesmo assim, pois com toda a certeza valerá a pena.

1. Menos maquiagem e mais demaquilante.

Será que alguém reparou que eu ando me maquiando bem menos do que há poucos meses? Pois é, não é impressão não. Por alguns motivos simples, decidi diminuir a intensidade dos meus looks de maquiagem. Primeiro, porque toma muito do meu tempo – eu deixo para elaborar mais nos looks em ocasiões especiais, e não todos os dias. Segundo, porque me faz parecer mais nova – apenas realçando o que gosto e escondendo o que não gosto tanto assim. Terceiro, porque quero me sentir bem independente da quantidade de maquiagem que tenho em meu rosto, o que é algo muito necessário. Dormir de maquiagem jamais! Comprei demaquilante, água miscelar, tônico, óleo de coco, enfim, tenho tudo, menos uma desculpa para dormir de maquiagem. Faço isso há muito tempo e tenho certeza de que minha pele é boa por sempre estar limpa durante o sono.

2. Menos sol e mais filtro solar.

Esta combinação é o anti-rugas mais imbatível que existe no mundo. Eu não tomo sol há anos, mas é claro que não o evito 100% para não causar uma falta de vitamina D no meu corpo, pois ela é muito importante. Porém, não fico no sol com o intuito de me bronzear. Não tenho marca de biquini no meu corpo há mais de cinco anos e adoro essa sensação. Uso filtro solar todos os dias no rosto, e no corpo uso quando sei que ficarei exposta por muito tempo ao sol. Também acredito que exista uma ditadura do corpo cruel quando se trata de cor – não é bonito ser negra, também não é bonito ser branca. Bonito é ter o corpo bronzeado. “Pernas de palmito” é o comentário mais leve que eu já ouvi. Honestamente? Não me incomodo com os comentários maldosos. Me incomoda ser obrigada a ficar no sol, algo que eu detesto fazer, para agradar os olhos dos outros. No, thanks.

3. Menos álcool e mais água.


Eu não bebo quase nada, mas se tem algo que não bebo é cerveja. Isso eu vejo como uma vantagem, porque a cerveja incha muito e engorda muito. Mas o álcool, no geral, tem muito açúcar e destrói a pele. Durante todo o meu desafio #AgostoSemAçúcar eu não ingeri uma única gota de álcool, e achei isso ótimo. Há alguns anos passei a consumir vinhos, poucas vezes no mês, com alguma refeição e junto dos amigos, como aprendi com meus pais. Não exagero nunca na quantidade, mas depois que comecei o Vigilantes do Peso diminui muito a frequência do meu consumo de vinho, que tem uma pontuação alta por conta do açúcar. Bem, eu diminuí o vinho, mas fiz algo muito mais importante do que isso – passei a beber água! E isso é algo bem recente. Eu quero tentar beber pelo menos três litros d’água por dia. A água elimina o sódio do corpo, regenera as células e oxigena o cérebro. São inúmeros os benefícios, e é algo tão simples que não há desculpas para não conseguir fazer.

4. Menos televisão e mais exercício.

Não preciso nem explicar muito esse tópico, não é? Tudo bem, se quiser ver televisão enquanto anda na esteira está ótimo, o importante é deixar o sedentarismo de lado, se movimentar, aproveitar a juventude além da novela…

5. Menos balança e mais fita métrica.

Muitas vezes a gente só leva em conta os números que a balança indica, e graças a isso nos sentimos muitas vezes desencorajados a continuar nos alimentando e exercitando da maneira correta. Mas acontece que nosso corpo não é uma máquina. Não dá para perder peso quando a gente quer – seria muito bom, mas impossível. Nosso corpo trabalha de maneiras diferentes, e mesmo quando a balança não mostra um número muito, digamos, simpático, existem outras maneiras de se manter firme do lado saudável da vida. A fita métrica é uma delas. Nestes meses de Vigilantes do peso nem todas as semanas os números da balança diminuíram, mas todos os meses eu tirei minhas medidas, e em todos eles os números diminuíram. Ou seja, a conclusão aqui é: não deixe que a balança escravize sua vida. Entenda o seu corpo, e dê uma chance para que ele mostre a diferença no seu esforço no tempo dele.

6. Menos adoçante e mais vitaminas.

Estou tentando eliminar o adoçante artificial da minha vida. Isso é realmente algo importante, e eu vou continuar tentando. Contei no meu último video de update do #AgostoSemAçúcar que comecei a usar o Stevia (estevia) no lugar dos adoçantes artificiais. Mas quando se trata de opções “engarrafadas” que podem beneficiar nosso corpo estão as vitaminas. Eu venho usando apenas uma, que é a Biotina, que ajuda na saúde da pele, das unhas e dos cabelos. 

7. Menos café e mais clorofila.


Eu sei que é difícil não beber café – e não acho que devemos abolir nada do que gostamos de comer ou beber da nossa vida (a não ser por recomendações médicas), mas diminuir o volume do café que ingerimos diariamente é algo muito benéfico para a saúde. “Mas como vou conseguir ficar acordado sem meu café?”, bom, a resposta é simples: durma melhor (e aqui ainda cabe mais um tópico da lista – “Menos internet e mais noites de sono”). Sei que graças à rotina muitas vezes é difícil manter a regra das oito horas de sono por noite muito válida. Mas tente. Tente reajustar as coisas, tente colocar limites na rotina, nos compromissos. O descanso é fundamental para que nosso corpo se reajuste, para o equilíbrio dos hormônios e como terapia para a mente. Em contra-partida, descobri a clorofila, que é fonte natural e sem contra indicações de energia. Ela substitui bem o café (ao menos comigo), além de ter inúmeros benefícios à saúde, como a desintoxicação do intestino, enfraquecimento dos odores do corpo, aceleração do metabolismo, entre outras coisas. Eu bebo clorofila todos os dias, e tenho certeza que continuarei vendo seus benefícios a médio e longo prazo. Acredita-se que o consumo da clorofila desacelera o envelhecimento, melhora a circulação sanguínea, ajuda no controle da diabetes e é rica em antioxidantes.

Menos é mais. Mais é menos. Depende da sua escolha, do que você acredita que seja melhor para você. Mas vale a pena considerar todas estas dicas e aumentar o seu bem estar, focando sempre na sua saúde.

#BenditaSegunda – Mentalidade, Quem Faz a Sua É Você


Não dá para dizer que não estou muito contente com essa nova série do meu canal do YouTube. Inesperadamente, não consegui nem dormir direito noite passada por ansiedade, acredita? Há muito tempo não me sentia assim. 

Conseguir que um video ainda me cause frio no estômago é realmente algo muito positivo e uma grande motivação para seguir em frente.
Falando em positividade e motivação, vou contar então sobre este projeto, o #BenditaSegunda. Tomei um carinho muito especial por ele, muito maior do que eu imaginava. Já tenho uma lista com temas para oito videos dessa série, e espero de coração que eles possam servir de ajuda para alguém.

Por que #BenditaSegunda? Porque bendizer é algo bíblico. É fundamental. Bendizer nada mais é do que abençoar, e existe maneira melhor de começar uma semana do que trazendo palavras e pensamentos de fé a ela? Bom, na verdade sim. Além das palavras e dos pensamentos, o que conta em primeiro lugar são as nossas atitudes.

No primeiro video desta série eu falei a respeito da nossa mentalidade. Aprendi no livro “Singular: O Poder de Ser Diferente” que somos nós mesmos que formamos a nossa mentalidade. A mentalidade nada mais é do que a conclusão da constante repetição de uma idéia (ou de uma opinião, de um preconceito, de uma má experiência, etc). A própria segunda-feira é uma mentalidade, pois fazemos dela um dia ruim, um dia em que temos que – teoricamente – abrir mão de tudo o que gostamos de fazer para começar uma sequencia de dias fazendo coisas que não necessariamente nos dão tanto prazer assim.

O que podemos fazer para mudar nossa mentalidade sobre a segunda-feira? Como podemos torná-la um dia feliz, próspero e abençoado? Quais os pensamentos mais frequentes que rodeiam nosso dia e trazem consigo uma carga negativa desnecessária?

É possível viver todas as segundas-feiras de nossas vidas com tanta intensidade e alegria quanto vivemos os finais de semana. Tudo é questão de visão, de perspectiva, e novamente, de atitude.

Bendito seja o seu dia hoje!

Desafio #AgostoSemAçúcar – Semana 03: A TPM

Completei mais uma semana do desafio #AgostoSemAçúcar e hoje é dia de update! Esta terceira semana teve um agravante: a TPM. Não é fácil para uma pessoa como eu, que ama doces e que está acostumada a matar o nervosismo com açúcar, passar pelos dias de TPM durante um desafio assim.

Eu me mantive firme todos os dias da terceira semana, mas confesso que não foi simples. Só pra variar, o final de semana foi bem difícil pois no sábado fui a um parque de diversões e no domingo fomos almoçar num dos meus restaurantes favoritos, mas consegui me manter firme.

Esta última semana é a mais esperada de todas. Não vou desistir, quero ir até o fim, e então fazer um resumo de tudo, contando todas as vantagens que eu senti durante o mês de Agosto.

Espero que gostem do video.

Gi

Medo Não Existe

Se houvesse uma fórmula tiro e queda para que conseguíssemos percorrer a jornada da vida sabendo como driblar todas as surpresas que aparecessem na nossa frente, talvez tudo seria bem mais fácil. Mas a verdade é que nós temos que dar graças a Deus por esta fórmula não existir. As surpresas da vida nos fazem crescer, e nós precisamos disso.

Sem tabus, vamos falar sobre o medo. O medo de tudo. O medo de viver, o medo de morrer, o medo do passado, o medo do futuro, o medo do fracasso, o medo do sucesso, o medo de não saber o que fazer de nossas vidas, o medo de saber exatamente quem somos e o que queremos. Existe medo em tudo, existe medo na tristeza e existe também medo na felicidade.

Mas afinal, o que é o tal do medo? Pavor? Insegurança? Susto? Ameaça? Incerteza? Temor? Repugnância? Ignorância? Sim, ele se presta a todos estes papéis. Mas o medo em sí, nada mais é do que uma bóia emocional, inventada por nós mesmos. O medo nada mais é que uma idéia colocada homeopaticamente dentro de nós. Começa quase sempre que sem a intenção de ser medo – mas é uma idéia que se finca dentro de todos nós: o medo é a imposição de uma limitação.

Não faça isso, senão vai apanhar!”. A dor física das palmadas limita a atitude de uma criança. Ela pensa na dor, no susto, e fica com medo. Aquela lembrança, aquele pensamento, trazido à tona constantemente, torna-se uma mentalidade. Inventamos o medo cedo demais em nossas vidas, e com o passar dos anos, apenas aprendemos a deixá-lo maior, mais intenso, ao invés de fazer o contrário e treinar nossas mentes a entender que não há medo, há limitações, e que nós temos todo o poder de controlá-las.

Se sua vida mudasse hoje da água para o vinho, se você acordasse hoje com a grande surpresa de que iria viver em outro país, em um lugar onde nunca esteve, convivendo com pessoas que você não faz idéia quem sejam, longe da vida cômoda que você tem agora, você teria medo? Provavelmente sim. O mesmo aconteceria se você precisasse mudar de bairro, por exemplo. Mesmo sendo a mesma cidade, o medo estaria lá. Se fosse transferido de empresa, do escritório da zona Norte para o escritório da zona Sul, mesmo sendo a mesma companhia, o medo estaria lá. O medo da mudança estaria lá.

As mudanças são inevitáveis. Isso é fato. Mas podemos sim evitar o medo. Podemos refletir a respeito da situação toda, e traçar linhas do que são de fato as coisas que nos limitam – não o medo, mas o que está por trás dele, e fazermos então a seguinte pergunta: “eu sou capaz de controlar esta situação?”. Tenho certeza de que 99.9% das vezes a resposta será SIM. Lembrando que fugir não é uma opção, e sim mais uma face do medo.

Nós podemos sim driblar as surpresas da vida. Podemos sim ser vitoriosos em novas situações e conseguiremos sim encarar as mudanças como algo maravilhoso para nossas vidas. O medo não domina, o que domina é a perseverança. É preciso coragem nesta vida cheia de surpresas, e tudo vem para nos fortalecer.

Medo não existe. Coragem sim.

O Dia que Conheci as Caravelas de Colombo 

Este final de semana nos reunimos para almoçar e depois visitar as duas caravelas, réplicas de Niña e Pinta, utilizadas por Cristóvão Colombo em sua pretenciosa expedição de 1492 em busca das Índias, onde acabou descobrindo o “Novo Mundo”, o continente Americano.

As réplicas, de tamanho original, foram construídas à mão e sem a ajuda de nenhum tipo de ferramentas elétricas no nosso querido Brasil, e foram utilizadas nas filmagens de 1942 – A Conquista do Paraíso, agora estão sendo expostas em diversas cidades dos EUA. Elas saíram do porto de Salvardor e viajaram toda a costa do Atlântico até chegarem no hemisfério Norte. 

É emocionante poder entrar e conhecer estas embarcações, e mais impressionante ainda imaginá-las em alto mar, com pouquíssimos recursos, mas com tanta estrutura para conseguir atravessar um oceano inteiro. Aqueles desbravadores eram homens de muita coragem, com certeza.

O último dia da exposição das caravelas aqui na minha região foi ontem, e hoje elas serão levadas a Missouri, e seguirão caminho a seus próximos destinos. O ingresso para entrar em ambas é de $8 (adulto). Toda a tripulação que trabalha viajando e morando dentro dos barcos é composta por voluntários, e você pode fazer doações ou comprar os souveniers vendidos na hora.

Fiquei, mais uma vez, orgulhosa do Brasil pela produção destas caravelas, e muito feliz com a oportunidade de tê-las conhecido pessoalmente. Valeu a pena!

Gi

Nossas Escolhas Fazem Quem Somos de Verdade

Já comemoramos a chegada do final de semana no post de ontem mas não tem maneira mais gostosa de começar o dia do que desejando a todos uma Feliz Sexta-Feira! ❤

Sim, falemos de coisas boas, falemos de coisas importantes, falemos sobre nossas escolhas. Na jornada da reeducação alimentar eu sou apenas um ponto seguindo um fluxo de idéias, sugestões, guias e estruturas. Se fosse fácil “se jogar” nessa estrada e se deixar guiar no piloto automático essa história seria muito diferente – aparentemente mais fácil de início, mas muito menos saborosa na hora de celebrar a nossa vitória, no final. 

Primeiro que não é muito simples dizer onde esta jornada se inicia e onde termina. No meu caso eu espero que não termine jamais. Alcançar o peso ideal significa apenas dar os primeiros passos rumo à jornada sem fim do auto-controle. 

Nossas escolhas fazem de nós quem nós realmente somos. Acredito cegamente nesta afirmativa, não somente quando se trata de peso e saúde, mas em todos os fatores da vida. O processo de decisão nem sempre é óbvio, demanda uma certa prática, mas basicamente consiste em uma única equação: parar + refletir + ponderar = ótimo resultado (possivelmente o melhor de todos).

Esta semana foi assim, uma semana de decisões claramente relevantes. Todos os dias carregam decisões importantes, com certeza, mas especialmente esta semana precisei me planejar para conseguir tomar a melhor das decisões. 

O melhor horário de atender reuniões do Vigilantes do Peso para a minha rotina é o sábado de manhã. Acontece que amanhã não estaremos aqui, e teoricamente precisaria “cabular” a reunião desta semana. Bem, isso é o que eu teria decidido fazer há uns dois meses, porque já aconteceu algumas vezes. Então eu decidi pensar a respeito da situação.

Parei para refletir e ponderar toda a situação. Com base nas vezes anteriores que não fui às reuniões por motivos X, Y ou Z, a história era sempre a mesma. Eu não me pesava e começava a ignorar meu aplicativo do VP a todo custo, pensando que teria a semana toda para compensar o que eu comesse além dos pontos que eu, ironicamente, não estava contando. Ou seja, tudo errado. 

O pior é que este tipo de círculo vicioso parecia nunca terminar. Um dia de más escolhas levava a uma semana inteira de más escolhas, que resultava, obviamente, na minha hesitação em comparecer à reunião da semana seguinte, e assim por diante. Foi assim que fiquei dois meses afastada das minhas reuniões, e por isso foi mais complicado ainda voltar à mentalidade certa e ter a iniciativa de “começar do zero outra vez”. Bom, não tive que começar do zero na balança, mas a mente quase sempre tem mais peso do que o corpo, entende?

Depois de considerar todos estes fatores, decidi que – podendo fazer algo a respeito desta semana em específico (quando viajo a trabalho fica muito mais complicado, mas como diz minha mãe, basta cada dia o seu próprio mal, então deixemos para pensar neste problema em outra ocasião), eu decidiria fazê-lo. Pesquisei e descobri que de todos os horários disponíveis, além do sábado, eu também consigo participar das reuniões das sextas-feiras às 7:30 AM. 

Foi fácil acordar hoje às 5:30 AM para me arrumar e estar na reunião às 7:30 AM? Não. Eu tive que abrir mão de uma hora de sono, de tomar meu café da manhã em casa como todas as manhãs, de ficar mais tempo com meu marido antes de ir trabalhar (pois só nos vemos novamente após o expediente), de levar meus cachorros para fora (eles seguiram dormindo com o Josh quando saí de casa…), enfim, tive que sair da minha rotina para chegar ao meu objetivo. 

Embalei meu café da manhã alternativo – um shake de proteína, queijo de tira sem gordura e uma banana – e meu lanche matutino – duas pequenas mexericas, e fui para a reunião com toda a determinação possível. E veja só, perdi peso essa semana! 

O sorriso, a sensação de missão cumprida, o fato de estar cada vez mais perto do meu objetivo, tudo isso me deixou muito orgulhosa de mim mesma! Que bom ter tomado a decisão de ir à reunião hoje cedo! Valeu a pena, com certeza.

Esse sentimento é o que devo trazer na memória todos os dias, todas as vezes que eu estiver mediante a uma decisão relacionada à minha saúde. A fórmula realmente ajuda muito! Na reunião de hoje falamos sobre temas tão importantes, que me fizeram pensar sobre coisas que jamais passaram pela minha cabeça, coisas que eu não conseguiria pensar sozinha. Ganhei muito mais do que perdi em dedicar uma manhã da semana para isso. 

Bom, não sei se existe muita conclusão neste texto, que é mais um relato, mas o que eu posso te dizer é que se você tem um objetivo, não desista dele, e faça o que estiver ao seu alcance para que cada dia você chegue mais perto do seu sucesso. Quando se trata de peso e saúde, lembre-se sempre de que você realmente é o que decide ser. Questão de atitude, sabe? Comprometimento. É difícil pra caramba, mas vale a pena.

Por hora é isso.

Gi

Just Like Heaven

Sunset, Nosso Quintal, Segunda-Feira, 15/08/16

Feliz véspera de sexta-feira, galerinha do bem!Estamos aqui, reunidos em nome do bom humor, para dar início a mais um grande momento de nossas vidas, que é a chegada do tão esperado final de semana. Partindo do princípio otimista de que todos os dias de nossas vidas são únicos, importantes e merecem ser vividos com alegria, a quinta-feira tem o mesmo valor que a sexta, que tem o mesmo valor que o sábado, que tem o mesmo valor que o domingo, que tem o mesmo valor que a segunda, e assim sucessivamente.

Não, não sou hipócrita de dizer que não fico mais animada às vésperas dos finais de semana, porque afinal de contas quando sua playlist de sexta-feira pós expediente à caminho de casa é basicamente É o Tchan, Rouge e Spice Girls, fica meio impossível de se defender. Mas toda esta animação tem sempre um motivo.

Hoje, por exemplo, recebi pelo correio a encomenda de uma das coisas mais desejadas do verão na casa dos Goodwins: o suporte da minha rede! Ontem recebemos o guarda-sol e hoje poderemos deitar na nossa bela rede brasileira. Não tem como ficar com mais cara de final de semana, tem? 

Para melhorar, a temperatura está caindo. Isso significa que em poucas semanas eu poderei desfrutar da minha bela rede brasileira com o adicional de uma deliciosa manta de frio. Estou sonhando com este momento. Você, eu, nossa bela rede brasileira, nossa deliciosa manta de frio, e o pôr do sol. Já vou fazer reserva na minha varanda haha!

Ai, tô feliz.

Agora uma musiquinha pra ilustrar o momento.